102

Hipnose médica tem a sua eficácia comprovada

A eficácia da hipnose terapêutica como modelo complementar, está se tornando reconhecida, já que estudos comprovam mudanças de atividade cerebral quando em estado de transe profundo.

A medida que se passam as ondas beta de alta energia para as ondas theta, mais lentamente, o paciente experimenta a mudança da perspectiva e fisiológica, por exemplo, os nossos olhos quando vibram, a respiração que fica mais rítmica, o corpo que relaxa e também o tempo distorcido.

Uma curiosidade, é que crianças e animais tendem a residir nas ondas alfa e theta, assim sendo mais intuitivos e emocionais. Segundo Crawford, um pesquisador no campo hipnótico, as diferentes áreas do nosso cérebro são ativadas durante a hipnose.
                                              

Os primeiros resultados sugerem que é estimulada a via de recompensa que envolve a dopamina no cérebro. Mas uma pesquisa que foi feita utilizando fMRI, mostrou que a hipnose requer mais esforço mental, portanto os pacientes estão em um maior estado de consciência, e não em estado de sono profundo como se acreditava a alguns anos atrás.
 

Os poderes da hipnose juntamente com a sugestão, alteram os sistemas de crenças, reestruturando o significado que colocamos na experiência. O ex professor emérito da Universidade de Stanford, Wlliam Tiller, afirma que “nós nos tornamos aquilo a que damos significado”.



Estudos feitos sobre a hipnoterapia concordam, por exemplo, em que testes positivos para tuberculose usando o método de Mantoux evidenciaram inibição da sua reação após a sugestão hipnótica.

Um fato muito interessante foi a constatação de que o uso de imagens de resfriamento para vítimas de queimaduras aumentou muito a velocidade do corpo. E as sugestões hipnóticas administradas antes e depois da cirurgia, reduziram a necessidade de anestesia e medicação excessiva.
 

Por esse motivo, a hipnose tem claramente um efeito neuropsicoimunológico sobre o indivíduo, dando destaque a sua versatilidade, e abrangendo muito mais do que os usos tradicionais para gerenciamento de hábitos, medos e perda de peso.

Para saber mais sobre o assunto entre em contato o Instituto Arkeos.